Procura por cirurgia íntima em alta

Procura por cirurgia íntima em alta

Procura por cirurgia íntima em alta

Cada vez mais mulheres buscam um ideal estético não só para as partes do corpo que estão sempre em evidência, mas também para o que só costuma ser exibido em situações bastante privadas. O aumento da procura por cirurgias íntimas e as novas técnicas e procedimentos na área estão entre os assuntos que serão debatidos na 17ª edição do Simpósio Internacional de Cirurgia Plástica, que acontece de hoje a domingo, em São Paulo.

De acordo com o cirurgião plástico americano Garry Alter, mediador do painel “As diferentes abordagens na cirurgia íntima” no evento, a maioria dos pacientes que fazem esse tipo de operação são mulheres em torno dos 70 anos, que desejam o rejuvenescimento vaginal. Mas além da correção estética, que influi na autoestima, há questões de saúde envolvidas.
— Para o sexo feminino, pode haver um grande desconforto caso elas possuam grandes e largos lábios, podendo sentir dores no ato sexual ou até mesmo durante a prática de exercícios físicos — diz o especialista.
Adolescentes insatisfeitas com a aparência da vulva ou que sintam algum incômodo na região e homens com alterações genitais que precisam de reparo operatório — caso de uma condição chamada de “pênis escondido” — completam o público que se candidata à cirurgia íntima.

Segundo Garry Alter, como a cirurgia íntima ainda é pouco realizada no Brasil, a técnica como um todo é novidade no país. Hoje, 5.850 cirurgiões plásticos atuam em território nacional, conforme dados da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Deles, estimase que apenas cerca de 45% façam esse tipo de operação.

Fonte : Jornal Eztra

Mulheres querem reduzir tamanho das próteses de silicone

Mulheres querem reduzir tamanho das próteses de silicone

Mulheres querem reduzir tamanho das próteses de silicone

Ostentar seios grandes e turbinados já foi objeto de desejo de muitas mulheres nos últimos anos.

Agora, “menos é mais” é o padrão que dita as preferências tanto de quem vai colocar silicone pela primeira vez quanto daquelas que já aderiram à moda, mas querem mudar para um visual menos avantajado.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, embora não haja estatísticas oficiais, tem aumentado o número de pacientes que chegam aos consultórios pedindo a troca das próteses atuais por outras menores.

— Antes, era raro alguém pedir tamanhos menores do que 300ml. Agora, as mulheres preferem volumes entre 200 e 250ml. Elas querem algo mais discreto, que deixa a silhueta mais esbelta — diz o cirurgião plástico Eduardo Kanashiro.

Assim como seios naturais fartos, próteses de silicone muito grandes trazem prejuízo à postura. Para compensar o peso na parte da frente do corpo, é preciso projetar o tronco para trás, o que acarreta uma sobrecarga nas vértebras.

Além disso, mamas excessivamente turbinadas atrapalham a prática de atividade física, sobretudo a aeróbica.

— Hoje, a preocupação é com proporção e harmonia. Elas, agora, querem ser mignon. O aumento do estilo fitness também contribui. Mamas muito grandes não combinam com a mulher fitness — analisa Eduardo Kanashiro.

Segundo a cirurgiã plástica Cristiane Todeschini, a escolha do tamanho das próteses deve ser conjunta, do médico e da paciente, levando em conta as expectativas e a anatomia dela.

Fonte : Jornal EXTRA

Comentários

Categorias