Cirurgia bariátrica ajuda a controlar diabetes tipo 2

Cirurgia bariátrica ajuda a controlar diabetes tipo 2

Cirurgia bariátrica ajuda a controlar diabetes tipo 2

A cirurgia de estômago pode ser a solução para quem está muito acima do peso, mas a cirurgia bariátrica não pode ser encarada como a cura para a obesidade. Obesidade é doença e ganhar peso novamente pode ser fácil.

O Ministério da Saúde lembra que a realização da cirurgia é o último recurso para casos de obesidade grave.

O programa Bem Estar, da Rede Globo, falou da importância da cirurgia bariátrica, seus benefícios e quem pode se submeter à operação. Para explicar um pouco mais sobre o tema, convidou o endocrinologista João Eduardo Salles e o cirurgião do aparelho digestivo Almino Ramos.

Antes de se submeter à cirurgia, o paciente precisa passar por uma avaliação multidisciplinar que pode incluir uma série de especialistas, como endocrinologista, nutricionista, psiquiatra, psicólogo, avaliador físico. Um dos maiores problemas de quem fez a cirurgia bariátrica é desistir do acompanhamento com a equipe depois de perder os primeiros quilos.

A pessoa percebe que controla o diabetes, dorme e respira melhor, faz atividade física, e não quer mais ir ao médico. Nesse momento que ocorre o perigo de começar a ganhar peso novamente.

E quem pode fazer a cirurgia bariátrica ? A cirurgia é liberada apenas para pacientes com IMC igual ou maior que 40 e pode ser realizada em casos de IMC entre 35 e 40, desde que o paciente tenha diabetes, por exemplo. O IMC é calculado a partir da divisão do peso pela altura ao quadrado.

A cirurgia de redução de estômago não cura o diabetes tipo 2, mas ajuda no controle. Quando uma pessoa faz cirurgia bariátrica, há no estômago uma redução da grelina, hormônio que estimula a fome e a saciedade. Com isso, a fome também diminui.

O estômago, reduzido pela cirurgia, não consegue digerir o alimento, que acaba chegando praticamente intacto e mais rápido ao intestino. A chegada mais rápida promove uma liberação de diversos hormônios, entre eles o GLP1. Esse hormônio age sobre o pâncreas, que, por sua vez, passa a produzir mais insulina.

Com mais insulina, o corpo consegue colocar mais açúcar para dentro das células. Com isso, o açúcar no sangue diminui. Além disso, quando a pessoa emagrece, diminuem também as substâncias inflamatórias que bloqueiam a ação da insulina na célula. Assim, quando a pessoa emagrece, a insulina age melhor.

Fonte : Bem Estar (Rede Globo de Televisão)

 

Precauções que devemos ter com o frio do inverno quando fazemos atividades físicas

Precauções que devemos ter com o frio do inverno quando fazemos atividades físicas

Precauções que devemos ter com o frio do inverno quando fazemos atividades físicas

Fazer atividade física é bom para a saúde, o ano todo. Mas, nos meses de frio, é preciso tomar alguns cuidados.

A gente podia estar tomando um café com leite fumegante, a gente podia estar debaixo das cobertas. Só que não, né ?

Você está na rua, de agasalho, roupa de ginástica, tênis colorido de corrida. Disposto a subir escada, passar pela catraca, tirar o casaco e se aquecer de dentro pra fora, puxando o ferro gelado. O problema é quando você sobe na esteira, está indo bem, veloz, aquecido. Mas você pode começar a sentir uma sensação estranha, um mal-estar.

Então, tem que tomar muito cuidado mesmo, porque nessa época mais fria do ano muita gente pensa que é só trocar a roupa de trabalho para uma outra bem mais confortável e começar, do nada, a praticar alguma atividade física.

Mas se você tem um amor pelo seu coração, é melhor ficar esperto, caso contrário é achar que está se cuidando e acabar dando uma baita bola fora com a sua saúde.

Tem pesquisas médicas mostrando que são 30% mais casos de infarto no inverno do que nos outros meses do ano.

É necessário fazer avaliações médicas, check-ups e exames, como por exemplo, ecocardiograma.

O mais importante é você continuar fazendo atividade física com os devidos cuidados para a sua idade e para o tipo de exercício que você vai fazer.

E é engraçado tentar adivinhar a temperatura só olhando a galera. Como é que tem que se vestir para fazer exercício nessa época ?

“Para manter a melhor performance, a pessoa precisa ter o corpo mais aquecido. Quando ele está num frio muito grande, se tiver muito vento frio.Quanto mais frio, o coração bate mais lentamente”, diz o cardiologista Nabil Ghorayeb.

É preciso se agasalhar bem no inverno, usar casaco. Não é bom perder temperatura, porque quando você está aquecendo, você precisa manter a temperatura boa para o seu corpo produzir melhor performance.

Tem gente que não troca a série de piruetas por café com leite quentinho nenhum no mundo. Mas se bem que até ele pode dar uma força para o nosso treino.

“Líquidos quentes fazem bem e ajudam você aquecer”, diz o médico Nabil Ghorayeb.

Fonte : Jornal Nacional (Rede Globo)

Sinais do envelhecimento aparecem aos 26 anos, mostra estudo

Sinais do envelhecimento aparecem aos 26 anos, mostra estudo

Sinais do envelhecimento aparecem aos 26 anos, mostra estudo

Um estudo divulgado no começo de julho mostra que diferentes taxas de envelhecimento podem ser detectadas a partir dos 26 anos.

As descobertas publicadas na revista da Academia Americana de Ciências, a PNAS, se baseia em um grupo de 954 pessoas nascidas na Nova Zelândia em 1972 ou 1973.

Os pesquisadores coletaram dados sobre a função do rim, fígado e pulmão, higiene bucal, bem como sobre o metabolismo e função do sistema imunológico dos voluntários aos 26, 32 e 38 anos.

Eles também mediram o colesterol e níveis de condicionamento físico das pessoas. Usando um total de 18 medições biológicas, os investigadores determinaram uma idade biológica para cada participante aos 38 anos – com alguns registrando menos de 30 anos e outros que parece ter quase 60.

Quando os cientistas observaram atentamente para os que tinham envelhecido mais rapidamente, eles encontraram que os sinais de deterioração eram evidentes aos 26 anos, idade em que o primeiro conjunto de medidas biológicas foram tiradas.

A maioria das pessoas no grupo estava envelhecendo à taxa esperada de um ano biológico por ano cronológico, ou até menos. Outras pessoas foram envelhecendo numa proporção de três anos biológicos por ano cronológico.

E quando um grupo de estudantes universitários da Universidade de Duke foi convidado a olhar para fotos de pessoas no grupo, eles constantemente classificaram como mais velhos aqueles cujos corpos foram envelhecendo mais rapidamente do que o resto.

Os autores do estudo disseram que seus resultados pavimentam o caminho para futuros testes que podem ser mais fáceis e mais baratos de implementar, de modo que as pessoas podem descobrir o quão rápido estão envelhecendo em seus 20 anos – quando ainda podem fazer algo e possivelmente prevenir doenças relacionadas à idade.

Pesquisas anteriores mostraram que os genes representam apenas cerca de 20% do envelhecimento, deixando o resto para hábitos de saúde e ao meio ambiente.

“Isso nos dá alguma esperança de que a medicina possa ser capaz de retardar o envelhecimento e dar às pessoas ativas mais anos saudáveis”, disse o autor sênior, Terrie Moffitt, professor de psicologia e neurociência na Universidade de Duke.

Fonte : Bem Estar (Globo)

Comentários

Categorias