Queixos protuberantes ou retraídos podem ser corrigidos

Queixos protuberantes ou retraídos podem ser corrigidos

Queixos protuberantes ou retraídos podem ser corrigidos

Parece só um problema estético, mas o queixo grande ou pequeno demais pode trazer consequências para a saúde.

As consequências são problemas na mordida, dores de cabeça e apneia do sono.
Para corrigir o defeito — que está presente em cerca de dez milhões de brasileiros, segundo o Colégio Brasileiro de Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial — é preciso fazer a cirurgia ortognática.

Ela é feita com anestesia geral e tem duração de três horas e meia. A recuperação é rápida e o paciente já sai podendo falar.

Para as pessoas com queixo grande demais, a cirurgia deve ser feita a partir dos 17 anos, quando termina a fase de crescimento.

Crianças com dentição mista — dentes de leite e permanentes — podem consertar o problema sem precisar recorrer à cirurgia. Caso seja diagnosticado cedo, o tratamento é feito com um aparelho dentário e miniplacas de titânio nos dentes.

Na fase de crescimento, a gente consegue fazer uma atração reversa, mas é preciso fazer isso antes da adolescência.

Fonte : Jornal EXTRA

Sociedade Brasileira de Dermatologia do Rio de Janeiro faz campanha contra câncer de pele

Sociedade Brasileira de Dermatologia do Rio de Janeiro faz campanha contra câncer de pele

Sociedade Brasileira de Dermatologia do Rio de Janeiro faz campanha contra câncer de pele

No Dia Nacional de Combate ao Câncer da Pele, no próximo sábado, a Sociedade Brasileira de Dermatologia do Rio de Janeiro (SBD-RJ) oferecerá atendimentos gratuitos para análise e diagnóstico de casos suspeitos da doença. As consultas serão realizadas em nove hospitais da cidade do Rio de Janeiro, das 9h às 15h.

Quem tiver o problema detectado receberá encaminhamento para tratamento ou, dependendo da situação, já passará, na hora, pela primeira etapa da terapia.

Pessoas com lesões cutâneas que não cicatrizam ou que tenham notado qualquer mudança abrupta em uma pinta devem procurar atendimento.

Para que um sinal seja suspeito, é preciso que ele tenha assimetria, bordas irregulares, múltiplas cores e alterações de diâmetro e de aparência. Coceira e sangramento são outros sinais de alerta.

— Quando se consegue identificar e tratar precocemente o câncer de pele, os índices de cura são superiores a 95% — afirma o dermatologista Flávio Luz, presidente da SBD-RJ. — Por isso, além da avaliação médica, é essencial que o paciente mantenha o hábito de se autoexaminar.

Pele clara, histórico do problema na família e exposição ao sol por longos períodos sem proteção são os principais fatores de risco.

Dados da campanha do Dia Nacional de Combate ao Câncer da Pele realizada no ano passado revelaram que 63,23% dos cariocas não usam protetor solar, e 52,48% estão suscetíveis à doença.

Dúvidas sobre a campanha podem ser esclarecidas pelo telefone 0800-701-3187.

Fonte : Jornal Extra

 

 

Especialistas recomendam que se procure médicos antes de começar a prática da corrida

Especialistas recomendam que se procure médicos antes de começar a prática da corrida

Especialistas recomendam que se procure médicos antes de começar a prática da corrida

Correr é uma forma simples, econômica e prazerosa de se fazer atividade física. Melhora o condicionamento cardiorrespiratório e queima o excesso de gorduras no corpo, auxiliando no emagrecimento e no combate a diversas doenças.

Mas para aderir ao esporte, cada vez mais popular, não basta calçar o tênis e sair correndo. Nem todo mundo pode estar apto a começar sozinho.

— Tem gente que já sabe correr e tem gente que se correr, pode se machucar. O mínimo de orientação é sempre importante — afirma o preparador físico Márcio Atalla.

Para Márcio Atalla, correr todos os dias pode trazer complicações. O ideal seria alternar os dias com outro exercício.

Membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, o ortopedista Rubene Campos afirma que pessoas com sobrepeso ficam mais expostas a lesões.

— Qualquer pessoa que pratique corrida precisa de tênis de boa qualidade e na forma do seu pé. Isso vai ajudar no apoio, na sustentabilidade do corpo e na absorção do impacto, evitando que ela tenha lesões — recomenda.

Quem conhece o médico Drauzio Varella apenas da televisão nem imagina que o doutor de 72 anos também é maratonista há mais de 20 anos. No seu mais novo livro, “Correr”, lançado pela Companhia das Letras, ele narra como a prática do esporte mudou sua vida.

“Correr maratonas coincidiu com o período mais feliz e produtivo de minha vida, durante o qual pude concretizar os principais anseios da juventude, ao lado de outros que se manifestaram na maturidade”, conta ele no livro.

Fonte : Jornal Extra

 

Procura por lipo na bochecha aumenta nos consultórios médicos

Procura por lipo na bochecha aumenta nos consultórios médicos

Procura por lipo na bochecha aumenta nos consultórios médicos

Um novo tipo de lipo vem fazendo sucesso nos consultórios de cirurgia plástica. Rápida e de fácil recuperação, a redução das bochechas, cujo nome técnico é bichectomia, consiste na retirada de uma porção de gordura chamada “bola de Bichat”, que fica no canto externo da boca.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, apenas este ano, já foram realizadas 120 cirurgias desse tipo no país.

O procedimento, que custa entre R$ 5 mil e R$ 9 mil, demora, em média, 40 minutos, e é realizado com anestesia local e sedação opcional.

— A cirurgia é feita a partir de um pequeno corte, de dois a três centímetros, na altura do canino, por dentro da boca. Identificada a bola de gordura, retiramos o excedente. Os pontos são dados dentro da boca e saem naturalmente — explica o cirurgião plástico e diretor médico da Clínica Vitée, Ricardo Cavalcanti.

A bichectomia é procurada por mulheres que têm a face mais arredondada, diminuindo o volume entre a maçã do rosto e a mandíbula. O rosto fica mais definido e fino.

— Procurei o cirurgião porque queria fazer uma plástica nos olhos. O tamanho da minha bochecha sempre me incomodou, mas eu não sabia que essa cirurgia era possível. Depois que fiz, as pessoas perguntavam quantos quilos eu tinha emagrecido. Adorei! — contou a empresária Fernanda Sader, de 54 anos.

Segundo os médicos, após o procedimento, a região fica levemente inchada e um pouco dolorida. A recuperação ocorre em cerca de dez dias.

O presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica – Regional São Paulo, Fernando de Almeida Prado, alerta que é preciso procurar um profissional que tenha experiência na área, para não lesionar o ducto parotídeo, canal que transporta saliva, nem algum nervo, o que pode levar à paralisia facial.

Apesar de recente no Brasil, o procedimento de redução das bochechas é feito há 40 anos nos Estados Unidos. No mundo das celebridades, Madonna teria sido a primeira a se submeter à cirurgia. A atriz Angelina Jolie e a socialite Kim Kardashian também recorreram à técnica. E os homens também estão entrando no clima.

— Sem dúvida, as mulheres são a maioria dos pacientes. Mas a clientela masculina também cresce muito — diz o cirurgião Ricardo Cavalcanti.

Fonte : Jornal EXTRA – Repórter : Júlia Amin

Cirurgia plástica cresce 141% entre adolescentes no Brasil. Lipo é a campeã

Captura de Tela 2014-07-19 às 19.56.57

Em tempos de rígidos padrões de beleza, cada vez mais adolescentes recorrem a grandes procedimentos estéticos. Um levantamento da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) mostrou que o número de operações em jovens de 14 a 18 anos mais do que dobrou nos últimos quatro anos. O dado preocupa pelo exagero, dizem alguns especialistas.

As 37.740 plásticas de 2008 saltaram para 91.100 em 2012, representando crescimento de 141%. No igual período, as cirurgias em adultos aumentaram 38,6%.

Segundo o cirurgião plástico Allan Bernacchi, membro da SBCP, além de serem mais influenciados por modismos, os jovens costumam subestimar os riscos de um procedimento cirúrgico.

– Todas as plásticas têm risco e podem gerar complicações – diz Bernacchi.

De acordo com a SBCP, os procedimentos mais feitos por meninas são lipoaspiração e implante de silicone nas mamas. Nos meninos, os mais frequentes são correções de orelhas de abano.

Para o cirurgião plástico Ricardo Cavalcanti, da Clínica Vitée, é preciso entender as situações em que o procedimento tem efeito psicológico, melhorando a autoestima e o convívio social. Caso da estudante Beatriz Corrêa, que fez uma cirurgia estética no nariz aos 14 anos.

– Aproveitei que já faria a cirurgia de desvio de septo para me submeter à rinoplastia (correção estética no nariz) também. Convenci minha mãe depois de muita conversa. Após a plástica, mudaram minha autoestima e segurança, além da harmonia do rosto. Tive medo de não ficar do jeito que eu esperava, mas procurei me informar bastante antes sobre a cirurgia. Algumas pessoas falaram que eu era muito nova, mas não ligo para a opinião dos outros. Era uma vontade de muito tempo, porque meu nariz me incomodava demais. O resultado valeu à pena – afirma Beatriz.
Fonte: http://extra.globo.com/noticias/saude-e-ciencia/cirurgia-plastica-cresce-141-entre-adolescentes-no-brasil-lipo-a-campea-8894261.html

Comentários

Categorias