Botox Day na Clínica Vitée

Botox Day na Clínica Vitée

Botox Day na Clínica Vitée

 

Na próxima sexta-feira é dia de Botox Day na Clínica Vitée.

Além de oferecer aplicações de toxina botulínica no rosto por um preço diferenciado (R$ 1.200,00), a clínica distribuirá brindes durante o atendimento, além de champanhe e um maravilhoso Coffee Break.

O atendimento será realizado com hora marcada, das 14h às 20h30.

Para mais informações, basta ligar para 2492-1107 e 2492-1108, ou acessar o site www.vitee.com.br

Fonte : Blog da Márcia Romão.

marcia1

Beleza com desconto

Beleza com desconto

Beleza com desconto

Manter-se bonito nem sempre é fácil… ou barato ! Tratamentos não faltam para deixar a beleza em dia, e as promoções sempre são bem-vindas.

Pensando nisso, espaços da Barra e dos arredores, como a Clínica Vitée, oferecem descontos em dias especiais.

Na Vitée (Av. Fernando Mattos, 225, Barra), duas vezes ao mês é promovido o Botox Day, quando aplicações de toxina botulínica no rosto tem preço promocional. Além disso, a clínica distribui brindes durante o atendimento e oferece champanhe e coffee break.

– É uma boa opção, tanto para os pacientes que nunca fizeram uso da toxina botulínica e querem conhecer seu efeito, como para aqueles que fazem uso recorrente dela. Com um dia específico para se submeter ao tratamento, há redução do custo e podemos facilitar o pagamento – explica Ricardo Cavalcanti, cirurgião plástico e diretor médico da clínica.

O próximo evento será marcado para sexta-feira.

Fonte : O Globo (caderno Barra)

 

 

 

Procura por lipo na bochecha aumenta nos consultórios médicos

Procura por lipo na bochecha aumenta nos consultórios médicos

Procura por lipo na bochecha aumenta nos consultórios médicos

Um novo tipo de lipo vem fazendo sucesso nos consultórios de cirurgia plástica. Rápida e de fácil recuperação, a redução das bochechas, cujo nome técnico é bichectomia, consiste na retirada de uma porção de gordura chamada “bola de Bichat”, que fica no canto externo da boca.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, apenas este ano, já foram realizadas 120 cirurgias desse tipo no país.

O procedimento, que custa entre R$ 5 mil e R$ 9 mil, demora, em média, 40 minutos, e é realizado com anestesia local e sedação opcional.

— A cirurgia é feita a partir de um pequeno corte, de dois a três centímetros, na altura do canino, por dentro da boca. Identificada a bola de gordura, retiramos o excedente. Os pontos são dados dentro da boca e saem naturalmente — explica o cirurgião plástico e diretor médico da Clínica Vitée, Ricardo Cavalcanti.

A bichectomia é procurada por mulheres que têm a face mais arredondada, diminuindo o volume entre a maçã do rosto e a mandíbula. O rosto fica mais definido e fino.

— Procurei o cirurgião porque queria fazer uma plástica nos olhos. O tamanho da minha bochecha sempre me incomodou, mas eu não sabia que essa cirurgia era possível. Depois que fiz, as pessoas perguntavam quantos quilos eu tinha emagrecido. Adorei! — contou a empresária Fernanda Sader, de 54 anos.

Segundo os médicos, após o procedimento, a região fica levemente inchada e um pouco dolorida. A recuperação ocorre em cerca de dez dias.

O presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica – Regional São Paulo, Fernando de Almeida Prado, alerta que é preciso procurar um profissional que tenha experiência na área, para não lesionar o ducto parotídeo, canal que transporta saliva, nem algum nervo, o que pode levar à paralisia facial.

Apesar de recente no Brasil, o procedimento de redução das bochechas é feito há 40 anos nos Estados Unidos. No mundo das celebridades, Madonna teria sido a primeira a se submeter à cirurgia. A atriz Angelina Jolie e a socialite Kim Kardashian também recorreram à técnica. E os homens também estão entrando no clima.

— Sem dúvida, as mulheres são a maioria dos pacientes. Mas a clientela masculina também cresce muito — diz o cirurgião Ricardo Cavalcanti.

Fonte : Jornal EXTRA – Repórter : Júlia Amin
Hipertensão afeta quase 25% dos brasileiros

Hipertensão afeta quase 25% dos brasileiros

Hipertensão afeta quase 25% dos brasileiros

Quase um quarto da população brasileira sofre de hipertensão, um dos principais problemas de saúde pública no país.

Os dados fazem parte da pesquisa Vigitel 2014 (Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico), que coletou informações nas 26 capitais brasileiras e no Distrito Federal. O total de pessoas com pressão alta é de 24,8%.

Para prevenir o problema, deve-se reduzir a quantidade de sódio da alimentação.

No entanto, os brasileiros consomem muito mais sódio do que o recomendado – a ingestão no país é de 12 gramas por dia, de acordo com a Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF/IBGE), de 2008. O limite máximo recomendado pela Organização Mundial da Saúde, a OMS, é de 2 gramas de sódio (o equivalente a 5 gramas de sal).
Entre os grupos de idade pesquisados, brasileiros com faixa etária acima de 65 anos são os que mais sofrem com a doença (59,9%). O problema aumenta consideravelmente com o aumento da idade.

Segundo o Ministério da Saúde, entre 2011 e 2014 as indústrias de alimentação retiraram 7.652 toneladas de sódio dos produtos alimentícios graças ao Plano Nacional de Redução de Sódio, que conseguiu reduzir em até 10% o teor da substância em 839 produtos.

De acordo com a pasta, na primeira etapa do plano, em 2011, houve diminuição em produtos como macarrão instantâneo, pão de forma e bisnaguinha. Com isso, 1.859 toneladas de sódio saíram do mercado.

Na segunda fase, bolos, batata-palha, salgadinhos de milho, maioneses e biscoitos tiveram sua receita alterada e “perderam” 5.793 toneladas de suas fórmulas desde 2013, quando o acordo foi firmado para essas categorias.

A meta do governo é que até 2020 as indústrias do setor promovam a retirada voluntária de 28.562 toneladas de sal do mercado brasileiro.

Prevenção de dores nas costas e a melhora da postura

Prevenção de dores nas costas e a melhora da postura

Ações cotidianas ajudam a prevenir dores nas costas e a melhorar a postura

O fim de dores nas costas e outros distúrbios lombares não passa apenas por consultórios de médicos e fisioterapeutas.

Pequenas ações cotidianas, como dormir e sentar corretamente, e saber o que usar na hora de sair de casa são fundamentais para a prevenção do surgimento de doenças da coluna vertebral.

Sem dispensar a necessidade de visitar um médico, é possível manter a saúde das costas com atitudes de correção da postura e atenção na escolha de bolsas e calçados.

Os cuidados começam ao dormir. Não se deve deitar de bruços. O ideal é ficar de lado, com um travesseiro debaixo da cabeça e outro entre os joelhos. Nessa posição, a pessoa vai conseguir preservar o alinhamento da coluna durante todas as horas de sono.

A atenção deve ser redobrada também com o colchão utilizado. Com validade entre um e dez anos, ele precisa ser virado todo mês. Seu material não pode ser macio nem duro. Os moles deixam a coluna torcida. Por outro lado, os muito rígidos não se ajustam ao contorno do corpo.

Durante o dia, a preocupação deve ser a postura adotada ao sentar diante do computador. Quadril e lombar têm de estar sempre em contato com o encosto e os punhos apoiados sobre a mesa. Mantenha os calcanhares no chão e forme um ângulo de 90 graus com os joelhos.

Para mulheres, cuidado com bolsas e salto alto. Para quem é obrigada a andar de salto, a dica principal é variar a altura e o modelo dos sapatos.

Já quanto às bolsas, dê prioridade aos modelos menores e com alça transversal para distribuir o peso pelo corpo. Coloque só o necessário e alterne o local onde carrega entre mão, antebraço e ombro.

A proteção das costas também passa pelo fortalecimento de dois músculos desconhecidos, mas muito importantes. Localizados junto à coluna, o transverso abdominal e o multífido são os responsáveis pela sustentação do corpo.

Essa musculatura profunda, porém, não é trabalhada com exercícios convencionais. Para isso, é indicado o método de estabilização vertebral para garantir o fim das dores. São técnicas de academia e pilates que atuam especificamente nesses músculos. O objetivo do método é fazer o paciente aprender a estimular os músculos em toda ação do dia. Ao fazer isso, as dores passam.

Comentários

Categorias